8 de ago de 2008

Os Deuses




Deuses Celtas


Angus Mac Og ("Jovem Filho") - Deus irlandês da juventude, do Amor e da beleza. Possui uma harpa dourada que produz música de irresistível doçura. Seus beijos transformam-se em pássaros, que transportam mensagens de Amor. Tem um brugh (palácio de fadas) nas margens do Boyne.

Anu ou Dana - Florescente Deusa irlandesa da fertilidade, da prosperidade, da abundância e do conforto; guardiã do gado e da Saúde. É o aspecto virginal da Deusa Tríplice (junto com Badb e Macha). É a Grande Deusa. É costume acender-lhes fogueiras no meio do verão.

Airmid - é a Deusa da Cura dos celtas. A Deusa Airmid também era guardiã das fontes sagradas e segundo uma lenda, foi ela que ajudou seu pai Daincecht, avô de Lugh, a criar a Fonte da Cura, Tiobraid Slane

Arawn - Deus irlandês da vingança, do terror e da guerra. Arawn é o deus do mundo subterrâneo dos mortos.

Arianrhod ("Roda de Prata") - Aspecto maternal gaulês da Deusa Tríplice, honrada na Lua Cheia. Senhora da beleza, da fertilidade e do renascimento. É a Grande Mãe Frutuosa, a guardiã da Roda de Prata das Estrelas, símbolo do tempo e do eterno ciclo.

Badb ("Fervente", "Corvo de Batalha", "Gralha Escaldada") - Aspecto maternal irlandês da Deusa Tríplice, aquela cujo caldeirão produz vida incessantemente. É a deusa da sabedoria, da vida, da inspiração e da iluminação.

Banba - Deusa irlandesa de proteção.

Bel, Belenus, Gelimawr ("Brilhante") - Grande Deus irlandês; deus do sol; senhor da ciência, da cura, das fontes quentes, do fogo, do sucesso, da prosperidade, da purificação, da colheita, da vegetação, da fertilidade e do gado.

Blodeuwedd ou Blodwin ("Cara de Flor" ou "Flor Branca") - Deusa gaulesa das flores, da sabedoria, dos mistérios lunares e das iniciações. Seu símbolo é a coruja. Também conhecida como "Deusa dos Nove Aspectos".

Boann ou Boyne - Deusa irlandesa do rio Boyne; mãe de Angus mac Og (juntamente com Dagda).

Bran ou Benedigeidfran - Deus gaulês da profecia, das artes, dos chefes, da guerra, do Sol, da música e da escrita.

Branwen - Deusa gaulesa do Amor e da beleza. Uma "versão" celta da Afrodite grega.

Brigit ou Brig, Brighid ou simplesmente Blid ("Poder", "Renomes", "Feroz Flecha de Poder") - Freqüentemente chamada de Deusa Tríplice ou As Três Damas Abençoadas. Deusa irlandesa do fogo, fertilidade, lareira, Todas as artes e ofícios femininos, da cura, dos médicos, a agricultura, da inspiração, da aprendizagem, da poesia, da adivinhação, da profecia, da arte da forja, da criação do gado, do Amor, da feitiçaria e do saber oculto. Suas sacerdotisas eram prostitutas sagradas e cuidavam do fogo sagrado, permanentemente aceso em Kildare. Associada ao Sabá Imbolc, é, também, o outro aspecto da deusa Danu.


Cernunnos, Cernenus ou Herne The Hunter ("O Cornudo", "O Caçador") - É o Deus Cornudo, deus da natureza, do mundo subterrâneo e do plano astral. O Grande Pai celta. Os druidas o conheciam sob o nome de Hu Gadarn, o Deus Cornudo da Fertilidade. É representado nu, sentado na posição de lótus, com cornos ou armações de veado na cabeça, cabelos compridos encaracolados, barba e usando um torque no pescoço. Seus símbolos são o veado, o carneiro, o Touro e a serpente cornuda. É o senhor da virilidade, fertilidade, animais, Amor físico, natureza, bosques, renascimento, encruzilhadas, riqueza, comércio e guerreiros. É o princípio masculino do universo. Senhor do Inverno, da colheita, da terra dos mortos, dos animais, das montanhas, da luxúria, dos poderes da destruição.


Cerridwen, Caridwen ou Ceridwen - Deusa da Lua, a Grande Mãe, senhora dos grãos e da natureza toda, bem como da morte, da fertilidade, da regeneração, da cura, do Amor, das águas, da inspiração, da magia, da astrologia, das ervas, da ciência, da poesia, dos encantamentos e do conhecimento. Seu símbolo é uma porca branca, a comedora de cadáveres (representação da Lua). É o princípio feminino do universo.

Creiddyland ou Creudyland - Deusa gaulesa do Amor e das flores estivais. Está ligada ao sabá Beltane, quando é chamada de Rainha de Maio.

Dagda ("Bom Deus") - é o Grande Deus, Senhor dos Céus e pai de todos os deuses e dos homens. Senhor da vida e da morte; deus da magia, da terra, do renascimento; mestre de todos os ofícios; senhor do conhecimento perfeito. Possui um caldeirão chamado O-que-não-seca, que fornece quantidades ilimitadas de alimento. Deus da proteção, dos guerreiros, do conhecimento, da magia, do fogo, da profecia, do tempo climático, do renascimento, das artes, da iniciação, do sol, das curas, da regeneração, da prosperidade, da abundância, da música e patrono dos sacerdotes.

Gwydion - Deus gaulês das mudanças, da magia, das curas e da ilusão. Seu símbolo é um cavalo branco.

Lugh ("O Brilhante") - Deus da magia, do renascimento, do relâmpago, da água, das artes e ofícios, das viagens, dos ferreiros, dos poetas e músicos, dos historiadores, dos feiticeiros, das curas, da vingança, da iniciação e da guerra. Sua festa é o sabá Lammas ou Lughnassadh, um festival das colheitas. Tem uma espada e uma funda mágicas e está associado aos corvos (na Irlanda) e ao veado branco (em Gales).

Macha ("Corvo", "Batalha") - É a Grande Rainha dos Fantasmas, a Mãe da vida e da morte, um dos aspectos da Deusa Tríplice Morrigu. Deusa da paz e da guerra, da astúcia, da força física pura, da sexualidade, da Fertilidade e do domínio sobre os machos.

Morrigu ou Morrigan ("Grande Rainha") - Deusa suprema da guerra e Rainha dos espíritos e das fadas; Senhora do Espectro. É o aspecto Anciã da Deusa. Deusa dos rios, lagos e água fresca, da magia e da profecia; no seu aspecto escuro, é a deusa da guerra, do destino e da morte. Está associada a corvos e gralhas.

Nuada ("Mão de Prata") - Deus das curas, da água, dos oceanos, da pesca, do Sol, da navegação, dos nascimentos, dos cães, da juventude, da beleza, das lanças e fundas, dos ferreiros, dos carpinteiros, dos harpistas e poetas, dos narradores de histórias, das feiticeiras, da escrita, da magia, da guerra e dos encantamentos. É aquele que concede a Saúde. Possui uma espada invencível - um dos quatro tesouros dos Tuatha.

Ogma ("Cara de Sol") - Deus da eloqüência, dos poetas, dos escritores, da força física, da inspiração, a linguagem, literatura, magia, feitiços, artes, música e renascimento. Transportava uma enorme maça e era o campeão dos Tuatha. Inventou o alfabeto escrito ogham.

Rhiannon - Deusa gaulesa das aves e dos cavalos, dos encantamentos, da fertilidade e do submundo. Monta um veloz cavalo branco.

Scota ou Scath ("A Sombria") - Deusa do submundo; da escuridão, da sombra e a obscuridade, é aquela que combate o medo. Senhora das curas, da magia, da profecia, das artes marciais e Patrona dos ferreiros.

OS DEUSES GREGOS E ROMANOS

A

AFRODITE - Nome grego de Vênus (ver Vênus) Deusa do amor e da beleza, amante de Ares, a quem deu vários filhos, entre eles Fobos = Medo, e Demos = Terror. Afrodite era também mãe de Eros. Afrodite para os gregos e Vênus para os romanos. Deusa do Amor, da sedução, do enamoramento, a mais bela de todas as deusas nasceu dos testículos cortados de Urano - o Céu - que caíram no mar e se transformaram em espuma.

Irmã de Apolo, venerada e auspiciada em todos os casos amorosos, envia eros, seu filho, para dar flexadas nas pessoas que assim se enamoram violentamente.

Afrodite teve muitos casos amorosos, mas era casada com Vulcano, deus da metalurgia que habitava uma zona profunda na Terra. Afrodite reina sobre o mar calmo que reflete o céu, de onde nasceu, os portos, as costas territoriais. Elegante e bem vestida, Afrodite representa a união dos sexos e a atração entre os seres. O cuidado com a beleza do corpo e a amabilidade no trato com os semelhantes são assuntos de Afrodite. Duas personificações de Afrodite simbolizam o seu lado magnético e atrativo. Um deles retrata a deusa em seus aspectos mais cultivados e amáveis, e aí a tartaruga é seu animal simbólico. A Vênus ( nome latino de Afrodite) "vulgar" tem no bode seu animal sagrado, e representa a lascividade e até mesmo a promiscuidade sexual. A Afrodite urânia - celeste - era invocada pelos esposos na preservação do seu amor. A Afrodite "vulgar"era adorada pelas cortesãs. Na verdade, são as duas faces de Afrodite, o mesmo impulso pela união entre os sexos mas vivido de forma diferente.

ALMA (PSIQUÊ) - Jovem princesa tão bela que atraia mais multidões do que Vênus (Afrodite). Sofreu duras penas pela Deusa por isso até que casou-se com Amor (Eros) e teve, com ele, Volúpia –

AMOR (EROS) - Surgido do Caos, junto com a Terra (Gaia), trazia consigo ordem para o Caos. Mais tarde, viveria sob o comando de Vênus (Afrodite) , deusa do Amor e da Beleza. Apaixonando-se por Alma (Psiquê), casaria-se com ela e com ela teria Volúpia. LEIA ABAIXO:

ARES - Nome grego de Marte (ver Marte)

ÁRTEMIS - Nome grego de Diana (ver Diana) Eterna virgem - isto é, não casada - esta deusa é a protetora das florestas, da vida silvestre, os animais, dos bosques e florestas são protegidos por ela e lhe são consagrados. Protetora dos partos, é irmã de Apolo - o Sol -nascida do casamento entre Zeus e Latona - a Noite. Hera impediu o parto de Latona e perseguiu esta deusa e seus dois filhos.

Àrtemis tem na Lua seu símbolo, carrega um arco de caçadora e um facho. Soberana das montanhas, dos bosques e dos rios, sempre anda acompanhada de suas ninfas e seus animais, os cervos.

Muito pudica, não permitia que ninguém visse seu banho e nenhuma de suas ninfas podia manter relações sexuais com homens. Extrovertida e atirada, o compromisso da mulher - Àrtemis é com sua própria natureza, simples e que reverencia o lado natural, até mesmo selvagem da natureza humana.

Sem malícia, independente, adora a própria natureza, uma defensora do naturalismo e do meio ambiente, que viaja e quer ar livre. Sua abordagem da vida não é intelectual como a de sua irmã Palas Atena, nem sentimental e sedutora como de Afrodite, sua outra irmã.

A Diana dos romanos, era a deusa-virgem da lua, irmã gêmea de Apolo, poderosa caçadora e protetora das cidades, dos animais e das mulheres. Na Ilíada de Homero, desempenhou importante papel na Guerra de Tróia, ao lado dos troianos. Ártemis para os gregos e Diana para os romanos.

B

BACO (Dioniso) - Deus do vinho e da embriaguez, da colheira e da fertilidade. Filho de Júpiter (Zeus) e Sêmele.

Mais uma vez traindo Juno, sua esposa e irmã, durante várias noites Júpiter amou Sêmele, princesa tebana. E, como prova de afeto, jurou-lhe pelas águas sangradas do rio Estige realizar qualquer um de seus desejos.

Ao descobrir a traição e o juramento, Juno procurou a princesa e, sabendo que nenhum mortal sobreviveria à visão divina, aconselhou-lhe pedir a Júpiter que se mostrasse a ela em seu verdadeiro aspecto.

Assim, pois, cumprindo a promessa, Júpiter atendeu o pedido da princesa. E mal apareceu em toda sua glória, o palácio incendiou-se e Sêmele morreu entre as chamas. A jovem, contudo, levava no ventre um filho de Júpiter. Auxiliado por Vulcano, o deus arrancou-lhe a criança e costurou-a em sua própria coxa, para que ali completasse a gestação. chegando o momento, o pequeno rasgou a carne paterna e saiu a vida. Era Baco.

Baco e sua ascensão ao Olimpo

Sempre a lembrança de Sêmele acompanhava o deus. Com tal freqüência e tão grande intensidade pensava em sua mãe que um dia resolveu procurá-la para conduzi-la com honras e pompas de deusa ao Olimpo.

A princesa tebana encontrava-se no lúgubre e sombrio mundo dos mortos, onde reinava o taciturno Plutão, senhor dos Infernos, e Prosérpina, sua divina esposa. Assim, para lá partiu Baco, empreendendo sua última viagem. Com Plutão, nada falou sobre seu intento, pois contava com segura recusa. Preferiu dirigir-se à linda Prosérpina, a quem prodigalizou palavras doces e ricos presentes, que lhe valeram obter Sêmele de volta.

Mal tocou a mão da princesa, Baco sem demora abandonou as tristes sombras das Terras Infernais, indo para o templo de Diana, onde por algum tempo se refugiou da perseguição de que Plutão, furioso e vingativo, lhe movia. Por fim, acalmada a fúria do senhor dos Infernos, abandonou o esconderijo e tomou caminho do Olimpo.

Ao transpor os limites dos deuses, julgou prudente chamar sua mãe de Tione, para desse modo não suscitar a cólera da ciumenta Juno, à qual o nome Sêmele denunciaria a antiga rival, já duramente castigada. Enquanto introduzia a mãe na comunidade divina, o próprio Baco, pela força do vinho, adquiria finalmente o direito de privar das honrarias dos seres olímpicos. E tão importante se tornou entre eles que, sem encontrar a menor resistência nem provocar desagrados, expulsou Vesta, a deusa do lar, de seu posto junto a Júpiter, e ocupou esse lugar privilegiado, firmando-se para sempre como divindade.

C

CÉU (URANO) - Filho e esposo da Terra (Gaia), com ela teve os Titãs, os Ciclopes e os Hecatônquiros. Ver Terra p/ mais.

CRONOS - Nome grego de Saturno (ver Saturno)

D

DEMÉTER - Nome grego de Ceres (ver Ceres) Personificação da Grande Mãe Terra, preside a agricultura, especialmente o trigo e os animais domésticos. A natureza de Deméter é basicamente gentil, auxiliadora de todas as mães e todos os assuntos ligados a crianças e bebês. Deméter tinha uma filha, Perséfone, que foi raptada por Plutão, rei do Mundo Subterrâneo. Inconformada e enraivecida, a deusa procurou pela filha por toda a parte, até que soube do seu paradeiro. Prometendo a Zeus que a terra ficaria estéril e todos morreriam de fome caso não pudesse ter a filha de volta, chega enfim a um acordo com Plutão: a cada seis meses Perséfone viria à superfície da Terra - representada pelas estações do verão e da primavera. Nos outros seis meses Perséfone permaneceria como Rainha do Mundo Subterrâneo, correspondendo às estações do outono e do inverno. O mito de Deméter e Perséfone estão vinculados. Psicologicamente, Deméter representa a mãe que cuida maravilhada da filha, até que a menina vire moça, quando então o encanto da infância acaba para dar lugar aos mistérios da mulher: a menstruação, a defloração e o sexo, o filho gestado no segredo do ventre - fase Perséfone - e depois, novamente, Deméter amamentando e cuidando de seu bebê. A perda da filha menina que vira moça é representada pelo rapto de Perséfone e a tristeza de Deméter.

DIANA (ÁRTEMIS) – VER ARTEMIS

DIONISO – Nome Grego de Baco – VER BACO

E

EROS - Nome grego de Amor (ver Amor)

F

FÚRIAS(Erínias) - Filhas do sangue derramado por Saturno (Cronos) e da Terra (Gaia), eram forças misteriosas que desconheciam a autoridade dos seres olímpicos. O Próprio Júpiter (Zeus) devia obedecer-lhes. São três : Alecto, Tisífone e Megera. Vingadoras dos crimes, perseguiam sua vítima torturando-a de todas as maneiras, até enlouquecê-la. As vezes as Fúrias (Erínias) enviavam punições coletivas à uma região inteira, como epidemias e tempestades. Castigavam principalmente o homicídio e os crimes contra a família.

G

GAIA - Nome grego de Terra (ver Terra)

H

HADES - Nome grego de Plutão (ver Plutão)

HÉCATE- Filha de Perses e Astéria. Tão poderosa no céu como na terra, Hécate concedia aos homens a prosperidade materia, o dom da eloquência nas assembleías políticas, a vitória nas batalhas e nos jogos. Promovia o aumento da pesca e dos rebanhos. Presidia a magia e os encantamentos, ligada ao mundo dos mortos.

HERA- Nome grego de Juno (ver Juno) Esposa do deus grego Zeus, que reina no Olimpo, Hera simboliza o poder repartido no casamento. O mito conta que Hera não foi a primeira mulher de Zeus. Casou-se para assegurar uma aliança política; Hera é irmã de Zeus e torna-se mais tarde sua esposa. Deusa tutelar do casamento, protetora das uniões, do laço familiar. Um tanto "briguenta", principalmente com Zeus, que vivia muitas aventuras amorosas com mulheres mortais e até deusas, Hera representa a esposa, que mantém a casa em ordem, ensina os costumes e as regras à família e reparte o poder no casamento. Sempre vestida da cabeça aos pés, tem o pescoço e os braços nus. Seus atributos são o véu, o diadema , e os seus animais são o pavão e o cuco.

Protetora da umidade do ar, sua serva é Íris, que representa o arco-íris. O cuco de Hera é uma homenagem à forma como Zeus se declarou a ela. Transformado em cuco, Hera sentiu pena do frio que o pássaro passava e o acolheu em seus seios; o deus se apresentou então na sua forma divina e lhe propôs casamento. O pavão simboliza, com uma lenda, o ciúme que Hera sentia dos inúmeros casos amorosos de Zeus, tendo conspirado também para derrubá-lo do poder do Olimpo, mas sem sucesso. Hera teve filhos: Marte, deus da guerra, e Vulcano, deus da metalurgia; Hebe que personifica a juventude, e Ilítia, que em princípio auxiliava os partos, sendo que mais tarde esta função ficou a cargo da deusa Àrtemis. A mulher - Hera, extrovertida e vingativa, que gosta das boas roupas, boa apresentação, quer a casa e os filhos em ordem.

HÉSTIA- Nome grego de Vesta (ver Vesta)

I

INFERNOS - O Reino de Plutão (Hades) e Prosérpina (Perséfone)

J

JÚPITER(Zeus) - Filho de Saturno (Cronos) e Cibele (Réia), foi o primeiro filho de Cibele (Réia) a ser poupado do pai, que devorava os filhos. Depois de crescer em Creta, libertou os irmãos que estavam no interior de Saturno (Cronos) e tomou o poder do Olímpo tornando-se o Deus dos deuses.

M

MARTE (Ares) - Filho de Júpiter (Zeus) e Juno (Hera), deus da Guerra.

MERCÚRIO(Hermes) - Filho de Júpiter (Hera) e Maia, dotado de extrema inteligência, Júpiter (Zeus) o tornaria seu emissário e conselheiro. Salvou Júpiter (Zeus) de Tifão (Ver Tifão), matou Argo para salvar IO a mando de Júpiter, e muitas outras aventuras.

MINERVA(Atena) - Filha de Júpiter (Zeus) e de Prudência (Métis), era a Deusa da sabedoria e inteligência, tornando-se a conselheira dos Deuses. Habitavam o palácio com seu pai Nereu, no fundo do mar. As mais importantes foram Anfitrite (esposa de Netuno (Poseidon)) e Tétis (esposa de Peleu).

N

NETUNO(Poseidon) - Irmão de Júpiter(Zeus), filho de Saturno (Cronos) e Cibele (Réia). Na partilha do mundo entre os Deuses Olímpicos depois da vitória sobre os Titãs, recebeu o domínio dos Mares, antes pertencente ao Titã Oceano. Depois de muitas aventuras amorosas, finalmente casou-se com a nereida Anfitrite. Sua arma mais conhecida é o Tridente mágico, que ao tocar a terra pode fazer qualquer coisa.

NIX - Nome grego de Noite (ver Noite) - Surgindo do Caos, cobre a terra em ciclos com sua filha Dia (Hemera). Sua Genealogia é muito discutida entre os poetas.

P

PÃ - "Tudo", filho de Mercúrio (Hermes) e de Driopéia. É um ser meio homem, meio animal, com torso humano, coberto de pelos negros, e cabeça e pés de bode. Gostava de assustar os homens com suas aparições bruscas, o que deu origem ao termo "Pânico" (Terror pânico).

Nas frias montanhas da Arcádia, vivia a ninfa Siringe, casta companheira da deusa Diana. Para manter intacta sue pureza, a pobre jovem vivia fugindo de uma multidão de sátiros e deuses que constantemente a perseguiam com furioso desejo.

A essa turma de admiradores juntou-se Pã. Mal deparou com a bela Siringe, o deus correu em seu encalço. A companheira de Diana atravessou terrenos pedregosos, riachos e bosques, procurando em vão um esconderijo.

Finalmente, cansada de fugir, parou às margens do rio Ladão e suplicou ao deus daquelas águas que a salvasse da fúria de Pã, transformando-a em alguma coisa impossível de ser violentada pelo perseguidor.

Atendendo à prece tão desesperada. Ladão mudou a jovem em vários caniços do brejo. E quando Pã, aproximando-se do local, estendeu os braços para envolver a amada, tocou apenas um punhado de hastes verdes. Decepcionado por não encontrar Siringe, porém ao mesmo tempo curioso com a novidade, levou os caniços à boca e soprou. Percebeu então que eles emitiam um som leve, delicado e harmonioso. Reuniu-os todos, e seguiu soprando, improvisando melodias. Assim criou uma flauta agreste, diferente, à qual, em lembrança da amada fugitiva, deu o nome de Siringe.

PANDORA- "Aquela que tem todos os dons", criada pelos deuses sob ordem de Júpiter (Zeus) para punir a raça humana por ter roubado o fogo dos deuses. A divindades dotaram-na de beleza, graça, audácia, força, persuasão e habilidade manual, de modo a conquistar e atrapalhar os homens. Júpiter (Zeus) entregou-lhe uma caixa contendo todos os males existentes e enviou-a à terra seduzir os mortais e levá-los a perdição..

Pandora e os males do mundo

Os seres Olímpicos temem os homens e reúnem-se para discutir sobre o assunto. Júpiter inventa a forma mais rápida de destruir o paraíso dos homens : a Mulher. Chama Vulcano, o habilidoso deus artesão, e pede-lhe que confeccione uma imagem feminina de bronze.

Ela devia assemelhar-se ao homem, mas em alguma coisa deveria diferir dele, de tal forme que o encantasse e comovesse, atrasando-lhe o trabalho e transtornando-lhe a alma. E cada deus oferece-lhe alguma coisa àquela criatura, que já nasce para colocar em desconcerto a vida dos mortais.

Minerva, que não se considera mais amiga de Prometeu, pois este havia desafiado seus companheiros divinos, entrega à mulher recém-criada um lindo vestido bordado, que lhe cobre as harmoniosas formas.

Quando a virgem está inteiramente vestida, Vênus oferece-lhe a beleza infinita e os encantos que seriam fatais aos indefesos homens. Mercúrio presenteia-a com a língua . Apolo confere-lhe a suavíssima voz. Enfim, a bela Pandora, "dotada por todos", está pronta para cumprir sua missão.

Mas antes de enviá-la Júpiter lhe dá uma caixa coberta com uma tampa. Nela estão contidas as misérias destinadas a assolar os mortais : reumatismo, gota, dores para enfraquecer o corpo humano. E inveja, despeito, vingança, para desesperar-lhe a alma, antes pura e solidária.

E Pandora cumpre sua missão. Ao chegar na Terra, Epimeteu, irmão de Prometeu, apaixona-se por ela e esposa-a. Este, apesar de advertido pelo irmão sobre não aceitar presentes dos Deuses do Olimpo, abre a caixa e libera todos os males sobre a humanidade. Assustado, rapidamente fecha a caixa, inconsciente do único sentimento ainda na caixa : a esperança.

O homem perde seu paraíso.

PERSÉFONE - Nome grego de Prosérpina (ver Prosérpina)

PLUTÃO(Hades) - Irmão de Júpiter(Zeus), filho de Saturno (Cronos) e Cibele (Réia). Na partilha do mundo entre os Deuses Olímpicos depois da vitória sobre os Titãs, recebeu o domínio dos infernos. Era assistido por várias divindades auxiliares : Hécate, as Fúrias (Erínias), as Parcas (Moiras), as Harpias, a Morte (Tánatos) , o Sono (Hipnos) e as Górgonas. Presidia o tribunal composto por Minos, Éaco e Radamanto, destinado a julgar os mortos.. Casou-se com Prosérpina, depois de obrigá-la a passar um terço de sua vida no Inferno ao dar à ela uma fruta infernal.

POSEIDON - Nome grego de Netuno (ver Netuno) É o deus do mar e dos terremotos, foi quem deu os cavalos para os homens. Apesar disso, era considerado um deus traiçoeiro, pois os gregos não confiavam nos caprichos do mar. Poseidon para os gregos e Netuno para os romanos.

PSIQUÊ - Nome grego de Alma (ver Alma)

S

SATURNO (Cronos) - Um dos Titãs, destronou o pai Céu (Urano) do comando do univeso e, mais tarde, foi derrotado e enviado ao Tártaro por Júpiter e os Olímpicos.

SELENE- Nome grego de Lua (ver Lua)

SOL(Hélios) - Filho de Téia e Hipérion, era tão belo que seus irmãos Titãs o mataram de ódio. Os Deuses lhe deram a imortalidade e o carro solar, Carro flamejante conduzido por cavalos de Ouro. Mais tarde, Sol (Hélios) daria a tarefa de percorrer o céu com seu carro à Apolo

T

TERRA (Gaia) - Surgiu do Caos. Sem princípio masculino gerou o Céu (Urano), as Montanhas e o Mar (Ponto). Unida ao Céu (Urano) teve os Titãs, os Ciclopes e os Hecatônquiros. Cançada do Céu, que vinha diáriamente lhe fecundar, forneceu à seu filho Titã Saturno (Cronos) a foice com que este cortou os Testículos do pai - do sangue derramado nasceram as Fúrias (Erínias) e os Gigantes. Dos testículos lançados ao mar nasceu Vênus (Afrodite). Com Mar (Ponto) teve Nereu, Taumante, Fórcis, Ceto e Euríbia. É tida como a grande mãe do Universo e dos Deuses.

No início era o Caos ...

Espaço aberto, matéria rude e informe, à espera de ser organizada, onde se encontrava o princípio de todas as coisas.

Do Caos surgiu a Terra, Amor, Terras infernais e a Noite.

Enquanto Amor, a forma que leva em si os elementos da agregação e combinação, põe ordem no universo, Terra gerou de si própria o Céu, as montanhas e o Mar.

A Noite e a Terra infernal uniram-se para gerar Dia, para se alternar com sua mãe, Noite, de tempo em tempo; e o Éter, o céu superior.

Terra casou-se com seu filho, Céu, e com ele teve os Titãs, seres gigantescos; os 3 Hecatônquiros (Coto, Giges e Briareu), seres dotados de cem braços e cinquênta cabeças; os Ciclopes, "seres de um olho só"; e algumas divindades primordiais.

O Céu e a Terra

Todo dia, durante a noite, o Céu cobria a Terra e a fecundava de forças impiedosas. Condenando seus filhos à viver na Terra, Céu irou a Terra que não queria tal mal para seus filhos e procurou o mais novo de seus filhos Titãs, Saturno - o Tempo, para ajudá-la a livrar-se de Céu.

Saturno aceitou a incumbência e a arma oferecida pela mãe, uma foice. Durante a noite, quando o Céu veio cobrir a Terra, Saturno com um único golpe, cortou os testículos do pai e atirou-os ao mar.

Do sangue derramado sobre a Terra, nasceram os Gigantes e as Fúrias, terríveis deusas da vingança, que a partir desse momento não deixariam passar impune crime algum.

Distante, no mar, aos poucos vai formando-se uma espuma, que nasce dos orgãos arrancados de Céu. E desta espuma brota Vênus, a mais bela dentre as deusas, emergindo das águas docemente, amparada numa concha de madrepérola.

Com o pai deposto, Saturno assume a posição de comando entre os Deuses

V

VÊNUS (Afrodite) - Deusa do Amor e da Beleza, nascida do sêmen do Céu (Urano) ao ser mutilado por seu filho Saturno (Cronos). Logo após seu nascimento, foi levada pelos Ventos para a ilha de Citera, ao sul do Peloponeso, e depois para Chipre. Ali as Horas acolheram-na, adornaram-na com belas vestes e jóias, e conduziram-na para o Olimpo.

VESTA (Héstia) - Deusa da família, filha de Saturno (Cronos) e Cibele (Réia). Nunca casou-se ou teve amantes. Personificação do lar, onde o fogo sagrado é aceso, e aí preside os destinos da família e da cidade. Primeira filha de Cronos ( Saturno, deus do tempo) e de Réa ( ou Géa, a Terra), permaneceu virgem e casta apesar dos muitos pretendentes. Seu pai a presenteou com a honra de ser a deusa mais venerada nas famílias, protegendo a castidade das esposas - importante para gregos e romanos que não queriam perder seu direito a posse e propriedade de bens e terras... Vesta protege os deuses penates ( familiares antepassados que protegem a família) cada casa tinha uma estátua de Vesta no meio da casa. Vesta se sustentava com a própria força, segura uma lâmpada que simboliza o fogo eterno e tem um burro a seu lado, que um dia a protegeu de um estupro. As sacerdotisas de Vesta eram as vestais, virgens que protegiam a cidade e alimentavam o fogo sagrado. Vesta é uma deusa que representa o lado mais introvertido da mulher, que permanece virgem para completar duas obrigações e proteger sua pureza psicológica no cumprimento da manutenção dos valores clínicos, protegendo a chama sagrada.

Nenhum comentário: